Wcecos portáteis

Os WCecos portáteis são uma solução ecológica, inteligente e de qualidade para resolver o problema do destino a dar aos dejectos humanos em eventos pontuais, como festivais, retiros ou outro tipo de eventos onde se concentrem muitas pessoas num curto espaço de tempo (algumas horas ou dias).

Não hesite em entrar em contacto connosco. Estamos ao dispor para criarmos sanitários secos ajustados ao seu contexto particular. A nossa proposta é uma mais-valia para o seu evento, pois de um problema – dejectos humanos – fazemos uma solução que produz composto para enriquecer o solo, evitando-se o desperdício e a contaminação de água, e poupando nos custos que o tratamento dessa mesma água implicaria.

Alugue os nossos WCecos desmontáveis para eventos públicos ou privados onde muitas pessoas participem. Fazemos a manutenção aos sanitários, de forma a que estes se mantenham limpos e agradáveis durante toda a duração do evento.

Contactos
Correio electrónico: wceco@mingamontemor.pt
Telemóvel: 93 041 9435

 

6 módulos montados em série – Festival Danças na Água e Andanças 24h, Celorico da Beira, 2012

 

Cada módulo WCeco individual tem 1,1 x 1,1 x 2 metros

Os componentes principais de um módulo WCeco são a moldura e os tampos em madeira e a “cortina” em serapilheira.

Todos estes materiais, que constituem mais de 90% do módulo, são recicláveis/compostáveis. No final da vida útil de cada WCeco, este é desmontado, aproveitando-se as partes em condições para reparação de outro WCeco e aproveitando as restantes para outras actividades e para compostagem. Temos assim um impacte mínimo na natureza e uma redução da pegada ecológica.

 

Interior de um WCeco – o autoclismo é serradura em vez de água.

Os 10% de materiais considerados não compostáveis dizem respeito a ferragens e dobradiças, que uma vez fora de utilização podem ser deixados a enferrujar na terra, em deposição criteriosa, sendo uma fonte de libertação lenta de ferro e outros minérios com mais valia ambiental.

 

Todos os materiais são biodegradáveis e compostáveis.

O depósito real é transformado em composto que pode ser usado em árvores, transformando um problema numa solução.

A matéria fecal que cada pessoa produz durante um evento é conduzida para um compostor aeróbio, onde durante um ano a natureza faz o seu trabalho, através de milhões de microorganismos. Passado esse período, o adubo entretanto criado adquire a fragância típica de “solo de floresta”, com a sua riqueza e fertilidade. Pode então ser utilizado para fertilizar a terra de uma horta, rechear o interior de vasos ou canteiros de flores ou aromáticas, enriquecer a caldeira das árvores de um pomar, criar uma esponja de matéria orgânica no pé de árvores numa acção de florestação, etc.

 

Na imagem temos o resultado de um ano de compostagem do que foi a experiência piloto no Andanças 2011, em Carvalhais (S. Pedro do Sul)